PMFS
Feira de Santana

Jovens acusam agenciador de modelos de abuso

Uma jovem de 23 anos e duas adolescentes estiveram na Deam onde registraram queixa e na ultima quinta-feira (9), outra menor de idade também compareceu à unidade para formalizar denúncia contra o suspeito
2020-01-10 09:50:56
Da Redação
Crédito: Mário Sepúlveda/FE
Crédito: Mário Sepúlveda/FE

O agenciador de modelos, José Paulo de Souza, conhecido como Raffael di Paulo está sendo acusado de assédio sexual por quatro garotas que procuraram a agência de modelos a qual ele é proprietário com a perspectiva de ingressarem no mundo da moda. No começo da semana uma jovem de 23 anos e duas adolescentes estiveram na Delegacia Especializada no Atendimento a Mulher (Deam), onde registraram queixa e na ultima quinta-feira (9), outra menor de idade também compareceu à unidade para formalizar denúncia contra o suspeito.


No começo da semana, três jovens de 24, 18 e 17 anos estiveram na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), prestando queixa. As vítimas alegam que tiveram conhecimento da agência através das redes sociais, mas denunciaram o proprietário de atitudes inconvenientes.


Segundo a delegada Edileuza Suely, titular da DEAM, informou que no registro de ocorrência as jovens relataram que durante os ensaios de fotografia o acusado as tocava de forma invasiva. “São três vítimas e elas compareceram e registraram esse fato, porém elas ainda não prestaram declarações formalmente”, explica.


A delegada conta que foi apurado que elas tomaram conhecimento dessa agencia de modelo através das redes sociais e se candidataram para esse trabalho.


“Elas disseram, em um primeiro momento, que no primeiro dia de uma delas foi feito uma massagem e que a justificativa era de que a pele ficaria melhor, para que as fotos tivessem uma melhor qualidade”, conta.


Uma das adolescentes, que tem 17 anos, contou que por conta de toques em partes íntimas e insinuações, chegou a sair da agência por desconfiar de algumas atitudes do proprietário, mas acabou voltando. Contudo, ficou apenas três meses por conta do assédio que teria sofrido.


Ainda de acordo com Suely, está sendo feito o inicio dos registros de uma ocorrência, e os próximos passos serão ouvir as vítimas, as testemunhas e por último o acusado será intimado. “A pessoa já é conhecida e identificada. Assim, após a oitiva dele, estaremos concluindo o inquérito e remetendo a justiça”, diz.


Na última quarta-feira mais uma adolescente de 16 anos compareceu a unidade policial, acompanhada de sua mãe para prestar queixa contra o agenciador o acusando das mesmas práticas. O acusado ainda não compareceu há delegacia da Mulher ainda por não ter sido intimado. “Voluntariamente ele ainda não esteve aqui. Não foi intimado e isso só acontecerá após a oitiva das meninas, já que ainda não se faz necessário a presença dele nesse momento”.


O fato ganhou repercussão estadual, sendo que a reportagem localizou uma das vítimas, que preferiu não conceder entrevista.

Comentários

Tacitus Tecnologia