BAHIA AQUI É TRABALHO
Em janeiro

ECAD: distribuição de R$ 131,7 milhões para autores

Dos valores arrecadados de pessoas físicas e jurídicas que usam música de forma pública, 85% são repassados aos autores, cantores e demais titulares e 5% às associações de música para suas despesas operacionais
2020-02-14 11:19:19
Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução
BAHIA AQUI É TRABALHO

O Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) distribuiu, no mês de janeiro, o total de R$ 131,7 milhões para 69 mil autores, músicos, intérpretes, editoras e produtores fonográficos, além das associações de música. Os resultados foram positivos em comparação ao mesmo período do ano passado, quando o valor distribuído foi de R$ 129,5 milhões.


No ano de 2019, foram contemplados 383 mil compositores, músicos e demais titulares com a distribuição do valor total de R$ 986,5 milhões.


A superintendente executiva do Ecad, Isabel Amorim, comentou sobre o trabalho da entidade. “Nosso objetivo é permitir que cada vez mais compositores e artistas tenham a sua arte reconhecida. O direito autoral é uma das formas de remunerar aqueles que vivem de música. É importante também que os clientes de música entendam que ela é um ótimo investimento e pode contribuir, inclusive, com o aumento de vendas e de consumo dos negócios de cada um deles”, disse.


Dos valores arrecadados de pessoas físicas e jurídicas que usam música de forma pública, 85% são repassados aos autores, cantores e demais titulares e 5% às associações de música para suas despesas operacionais. Ao Ecad, são destinados os 10% restantes para a administração de suas atividades em todo o Brasil.


O Ecad é a instituição responsável pela arrecadação e distribuição de direitos autorais de execução pública de músicas no país. Tem 43 anos de existência e é administrado por sete associações de música: Abramus, Amar, Assim, Sbacem, Sicam, Socinpro e UBC.

Comentários

Tacitus Tecnologia
PMFGS Covid