PMFS RUA VIVA

Sem presença de interessados na obra, reunião com IPAC fracassa

Não compareceu ao encontro nenhum representante com relevância. Faltam Ministério Público, Defensoria Pública Estadual e a Prefeitura
2017-08-09 20:44:05
Crédito: Reprodução

O Instituto do Patrimônio Histórico e Cultural (IPAC) não tem sido feliz, em sua incursão em Feira de Santana, nos últimos dias, desde que decidiu interferir em uma obra realizada pela Prefeitura Municipal, no Centro de Abastecimento - o Centro Comercial Popular, cujo objetivo é receber centenas de camelôs hoje espalhados pela cidade e, ao mesmo tempo, revitalizar o próprio entreposto comercial, já que o equipamento vai multiplicar o público que frequenta o local, diariamente.

 

Em sua última investida, criou um Conselho Gestor para o entreposto comercial. Esta semana, tentou realizar uma reunião deste recém-criado conselho, mas fracassou. Não compareceu ao encontro nenhum representante com relevância. Faltam Ministério Público, Defensoria Pública Estadual e a Prefeitura, com um agravante no caso desta última: o convite, formal, via ofício, chegou às 15h45min a Secretaria de Planejamento, bem depois da reunião, ocorrida pela manhã.

 

Antes disso, o IPAC encaminhou ao Município um ofício propondo o embargo da obra, como se tivesse poder para tal. O resultado é que a Prefeitura continuou tocando os trabalhos, enquanto a sua Procuradoria Geral prepara um recurso contra a recomendação do órgão estadual. A ação soou intempestiva, visto que a essa altura dos acontecimentos o investimento já se encontra em curso e uma eventual paralisação implicaria em enormes prejuízos. Ou seja, o IPAC “descobriu” tardiamente o fato.

 

A reportagem completa estará disponível na edição impressa desta quinta-feira (10) do jornal FOLHA DO ESTADO.

Comentários

Tacitus Tecnologia