PMFS INteracao

Parque do Saber recebe esculturas em papel

São 15 obras expostas, feitas de papel reciclado. Mas, o acabamento e as cores utilizadas pelo artista dão um aspecto curioso às obras
2017-08-30 16:26:03
Crédito: Reprodução

Metal, bronze ou ferro? Essa é a primeira pergunta que vem à cabeça de quem conhece o trabalho do artista plástico Valério Voltz, que está com a exposição Metal Mente Humano no Papel aberta para visitação no Museu Parque do Saber, até o dia 25 de setembro. Ao todo, são 15 obras expostas, feitas de papel reciclado. Mas, o acabamento e as cores utilizadas pelo artista dão um aspecto curioso às obras.


“Primeiro a gente olha e não consegue identificar que é papel. Parece que é feito de ferro ou algo assim. É muito original. O legal é que o artista retratou a arte usando materiais reaproveitáveis”, disse a estudante Gabriele Souza, que conheceu a exposição quando visitou o Museu Parque do Saber.


O artista plástico Valério Voltz, natural do Rio Grande do Sul, trabalha com esculturas há 12 anos e já utilizou, em suas criações, materiais como fibra de vidro. Mas agora cria utilizando materiais recicláveis. “A gente vê tanto material legal jogado fora. Por isso eu transformei isso no meu trabalho. Eu me sinto muito feliz porque consegui unir uma coisa que eu gosto de fazer com algo que ajuda o nosso planeta”, disse.


“Desde a inauguração, o Parque do Saber está de portas abertas para a arte, porque entendemos que os artistas são aliados da ciência. Às vezes, determinados assuntos são muito abstratos e é através de modelos artísticos que é possível um melhor entendimento”, disse o diretor do Museu Parque do Saber, e também chefe da Divisão de Difusão Científica da Fundação Egberto Costa, Basílio Fernandez.


O Salão de Exposições do Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo, mede 280m². E quem desejar utilizar o local para expor obras de arte gratuitamente, basta reservar o espaço enviando um ofício, sendo necessária também a apresentação de um projeto explicando a proposta da exposição. 

Comentários

Tacitus Tecnologia
PMFS RUA VIVA