Em três anos indústria feirense demite 10.633 trabalhadores

De janeiro a julho de 2017, foram gerados 4.421 postos de trabalho, entretanto foram demitidos 4.643 funcionários
2017-09-07 14:12:11
Da Redação
Crédito: Reprodução

Ainda sofrendo os resquícios da recessão econômica que afetou todo o País, o segmento industrial de Feira de Santana registrou queda na geração de emprego no primeiro semestre deste ano. De janeiro a julho de 2017, foram gerados 4.421 postos de trabalho, entretanto foram demitidos 4.643 funcionários gerando um saldo devedor de 222 empregos.


Apesar do recuo, a expectativa para o segmento industrial feirense de André Regis, presidente do Centro das Indústrias de Feira de Santana (CIFS) é otimista para os meses finais de 2017. “Devido à queda da inflação, dos juros e aprovação da reforma trabalhista. Estes fatos dão ânimo aos empreendedores e algumas indústrias estão até ampliando suas atividades em plena crise”, afirmou.


Regis se baseia em dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho) para fazer sua perspectiva. De acordo com o órgão, em 2014, o segmento industrial perdeu 3.030 postos de trabalho.


No ano seguinte, 2015, auge da crise econômica, a indústria bateu o recorde de demissões com 4.582 desligamentos. Já de janeiro a dezembro do ano passado, os números melhoraram e a indústria feirense demitiu 3.021 trabalhadores.

 


Com 222 desligamentos nos primeiros 7 meses deste ano, ele não acredita que o número de demissões seja tão acentuado como nos anos anteriores. Os números parciais de 2017, apesar de negativos, aumentam o otimismo dos empresários já que há a perspectiva de menos demissões no setor para os meses finais deste ano. “Os números são bem mais animadores, indicando que teremos um saldo positivo ou uma redução bem menor no fechamento de postos de trabalho no acumulado até dezembro”, esperançou.

Comentários

Tacitus Tecnologia
PMFS 184 anos