Mesmo com ponto facultativo, comércio não perde o ritmo

As lojas ficaram cheias, os bancos com muitas filas para acessar os caixas eletrônicos e o trânsito tumultuado
2017-09-09 10:20:11
Da Redação
Crédito: Gleidson Santos/FE

Quem pensou em andar e estacionar com tranquilidade no centro da cidade de Feira de Santana surpreendeu-se com o grande movimento da cidade no pós-feriado da independência do Brasil, as lojas ficaram cheias, os bancos com muitas filas para acessar os caixas eletrônicos e o trânsito tumultuado. É que neste ano o feriado caiu na quinta-feira (7), e o feriado foi prolongado.

 


Muitos aproveitam a data para viajar, mas outros preferem ficar em casa, seja para descansar ou por motivos financeiros. Márcia Santos é uma delas que preferiu ficar em casa para descansar e economizar um pouco do dinheiro. “Hoje é tempo de retirar o salário, eu preferir ficar em casa e não gastar esse dinheiro. Para qualquer lugar que saímos gastamos o pouco que temos. Vim ao centro só para retirar o dinheiro e ver as novidades das lojas”, relata Márcia. As lojas abriram nesta última sexta-feira (8), e a circulação de pessoas foi grande, principalmente na Rua Conselheiro Franco e Av. Marechal Deodoro.

 

William Marques, é gerente de uma loja de moveis, ele contou a nossa equipe que o movimento é muito bom, mesmo no pós feriado. “Mesmo agente sabendo que muitas pessoas viajam no pós feriado, nós não deixamos de abrir a loja de jeito nenhum. E este ano eu percebi que nós tivemos um aumento muito bom. Por ser começo de mês, muita pessoas estão recebendo o dinheiro e vindo ao comércio fazer suas compras”, diz o gerente.

 


O comerciante Sérgio Borges diz que está gostando muito do movimento em sua loja. “Hoje por exemplo não era para estar assim, todo esse movimento depois do feriado. Eu percebo que muitas pessoas estão vindo comprar, isso é muito bom, eu espero aumentar 16% das vendas hoje”, conta Sérgio.

 


Os bancos estavam lotados, com muitas filas e bastantes pessoas buscando tirar seus benefícios. A equipe de reportagem do Jornal Folha do Estado, conversou com Taiane Fonseca, 28 anos, que trabalha no comércio, ela explicou que resolveu ficar em casa no pós feriado prolongado, pois o dinheiro está curto. “Eu vim até o banco retirar um dinheiro, que é um benefício meu. O dinheiro que vim retirar já está todo comprometido, não posso gastar com viagens e outras coisas. Por isso decidir ficar em casa no pós feriado prolongado”, diz

 


Já dona Rosangela da Silva, acredita que o Brasil está em crise, mas que mesmo assim, o feirense não deixa de ir até o comércio dá uma olhadinha nas novidades. “Eu sei que nosso país está passando por uma crise violenta. Tento não gastar o meu dinheiro com coisas que eu sei que não vou precisar, mas é sempre bom vim ao comércio olhar as novidades e quem saber levar alguma coisa para casa”, finalizou Silva.
 

Comentários

Tacitus Tecnologia
PMFS 184 anos