Familiares de ex-vereador morto cobram agilidade

Na época, a Polícia Civil descartou motivação política para o crime, já que Etevaldo trabalhava como coordenador de campanha da vereadora Cíntia Machado , que tentava a reeleição.
2017-09-12 14:32:05
Com informações do Central de Polícia
Crédito: Reprodução

A morte do ex-vereador são-gonçalense Etevaldo Santos de Jesus, de 58 anos, que completa um ano no próximo dia 02 de outubro, continua sendo um mistério para a família da vítima que cobra um desfecho para o caso. O corpo dele foi encontrado com sinais de espancamento em um terreno baldio, às margens da Avenida Presidente Dutra, no bairro Santa Mônica, em Feira de Santana.

 

Na época, a Polícia Civil descartou motivação política para o crime, já que Etevaldo trabalhava como coordenador de campanha da vereadora Cíntia Machado , que tentava a reeleição. Atualmente, ela exerce o mandato como suplente.

 

Cansada de esperar, a viúva Cristiane Oliveira de Jesus cobra agilidade da polícia que, após quase um ano, ainda não concluiu o inquérito sobre o caso. "O maior sofrimento é ver meu filho sem saber que tirou a vida do seu pai. Quem conheceu Etevaldo, sabia que ele tinha o coração bom!", lamentou .

Comentários

Tacitus Tecnologia
PMFS 184 anos