PMFS São João

Mesmo em queda, preço da gasolina continua caro

O valor da gasolina na bomba feirense pode variar entre R$4,24 a R$4,29
2018-03-08 09:24:20
Da Redação
Crédito: Reprodução

Após um longo período em crescente, o preço médio da gasolina para o consumidor final teve uma leve queda. O recuo de aproximadamente 0,9% chegou a uma diminuição de R$ 0,10 em alguns postos de Feira de Santana. O preço da gasolina teve uma trajetória de alta durante o ano de 2016, puxadas em parte pelo reajuste feito pela estatal em dezembro.

 

O preço médio da gasolina, no período de fim de ano, chegou a atingir R$ 3,774 o litro, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis ANP. Já em 2017, foi anunciado no mês de julho, através de uma nota divulgada pelos ministérios da Fazendo e do Planejamento, que o valor da gasolina, diesel e etanol teve sua porcentagem aumentando quase o dobro, passando de R$ 0,38 para R$ 0,79 mais cara. O motivo justificado foi que seria para compensar as dificuldades financeiras que vem enfrentando o país.


Com o reajuste, os postos que reduziram o preço da gasolina comum, o menor preço encontrado foi de R$ 4,24 que teve 0,10 centavos a menos do que o valor da semana anterior. Em outros pontos da cidade podemos ver o valor da gasolina chegando a R$4,29. Já o preço do diesel está em R$ 3,10 podendo chegar a R$ 3,39, e o etanol que varia entre R$ 3,34 e R$ 3,37.


Para alguns consumidores, o grupo mais atingido pela mudança, o reajuste está sendo um desrespeito. "Não existe isso. A gasolina aqui em Feira de Santana está de R$4,24, não tem diferença do preço anterior. Fica difícil entender um jogo desses: em Vitoria da Conquista temos a gasolina no valor de R$ 4,09, sendo que temos uma refinaria aqui em Madre de Deus. Como é que aqui é tão mais cara?", questiona o aposentado Roberto Santos, 67 anos. Ele abastece duas vezes por semana, e acaba gastando cerca de 200 reais. Ele explica que para melhorar a situação, o consumidor deveria tomar consciência e expulsar esses políticos que só pensam no próprio bem.


Já o funcionário público, Arnaldo Oliveira, 57, diz que mesmo sem muita expressão, é valido a redução. "Eu abasteço de 15 em 15 dias, então a redução foi boa, principalmente para nós que sofremos com o preço muito abusivo. Essa redução faz com que melhore e da uma diferença no final do mês", desabafa. Para Debora Almeida, 35 anos, é importante que tenha iniciativas como essa, porém deveria ter sido muito maior. "A diminuição foi boa, mas ainda é muito pouco. A gasolina subiu muito nos últimos dias, então poderia ter sido muito melhor para o consumidor", diz.


O preço da gasolina teve uma trajetória de alta durante o ano de 2016, puxadas em parte pelo reajuste feito pela estatal em dezembro. O preço médio da gasolina, no período de fim de ano, chegou a atingir R$ 3,774 o litro, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis ANP. Já em 2017, foi anunciado no mês de julho, através de uma nota divulgada pelos ministérios da Fazendo e do Planejamento, que o valor da gasolina, diesel e etanol teve sua porcentagem aumentando quase o dobro, passando de R$ 0,38 para R$ 0,79 mais cara. O motivo justificado foi que seria para compensar as dificuldades financeiras que vem enfrentando o país.  

Comentários

Tacitus Tecnologia