PMFS Vacinação Antirrábica

Campanha do HEC alerta contra violência infantil

No ano passado, os casos de violência contra a criança atendidos no HEC chegou a número de 547
2018-04-14 14:39:47
Crédito: Divulgação

Os dados de atendimento de casos de violência contra criança e adolescente no Hospital Estadual da Criança, divulgados no ano de 2017, chamaram a atenção da Liga Álvaro Bahia contra a Mortalidade Infantil. Por conta disso, a entidade vem buscando mobilizar setores da sociedade na busca de soluções para ajudar diminuir essa violência e conscientizar a população sobre a importância de denunciar as agressões e a exploração sexual infanto-juvenil.


No ano passado, os casos de violência contra a criança atendidos no HEC chegou a número de 547. Desses, 37 foram referentes à violência sexual; 90 foram provocados por violência física e 420 se deram por negligência. Os meninos entre 1 e 6 anos são os mais atingidos, representando 317 casos.


Por ser uma entidade que, desde a sua origem, se preocupa com os cuidados com a criança e o adolescente, a Liga tem se engajado em questões que garantam que as leis de proteção a esses cidadãos sejam cumpridas. Em junho de 2017, mês de comemoração do aniversário do Estatuto da Criança e do Adolescente, a Liga Álvaro Bahia liderou uma campanha de conscientização sobre os direitos fundamentais desses pequenos.


Para 2018, a Instituição lança uma campanha de combate à Violência e Exploração Sexual Infantil que acontece às vésperas da Micareta de Feira de Santana. Pesquisas revelam que, durante este evento, as crianças e adolescentes encontram-se mais vulneráveis a situações de risco social. A ideia é conscientizar a população a denunciar os casos de violência infanto-juvenil e fazer valer o que o Estatuto da Criança e do Adolescente afirma em seu artigo 5º, “Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais”.


A campanha vem com um mote que alude a uma brincadeira do universo infantil e estimula a sociedade a não se omitir ou acobertar os casos que presenciarem, denunciando-os através do Disque 100.


Para Emanuel Melo, Presidente da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, proteger as crianças é uma obrigação de toda sociedade extrapolando os limites dos governos e autoridades. É responsabilidade de cada indivíduo, de cada ser humano. A criança, além de sua condição indefesa, carrega em si a esperança de um amanhã melhor. Negligenciar essa realidade significa negar o futuro.

Comentários

Tacitus Tecnologia