PMFS Vacina Sarampo

Aspirante a bombeiro deixa terra natal por um sonho

Francisco das Chagas Oliveira é natural de Cuiabá, Mato Grosso, tem 28 anos, sempre gostou de ajudar as pessoas e esse dom fez com que despertasse nele a vocação e paixão por ser um bombeiro militar
2018-05-11 18:54:36
Da Redação
Divulgação

Francisco das Chagas Oliveira é natural de Cuiabá, Mato Grosso, tem 28 anos, sempre gostou de ajudar as pessoas e esse dom fez com que despertasse nele a vocação e paixão por ser um bombeiro militar. E foi com esse objetivo que Francisco veio para Bahia em busca da realização de um sonho de criança, ou seja, entrar para o Corpo de Bombeiros. Porém, o que chamou a atenção do comando e integrantes do 1º Batalhão de Ensino, Instrução e Capacitação (BEIC) foi à história de luta e superação de Francisco das Chagas Oliveira, para realizar esse sonho.

 

O desafio começou primeiro tentando uma vaga de bombeiro no estado onde nasceu, porém não obteve êxito. Foi quando saiu o edital para o concurso de Bombeiro Militar do estado da Bahia, que Francisco não pensou duas vezes, e lançou-se rumo à concretização de um sonho. Sem conhecer ninguém na Bahia, Francisco chegou ao solo baiano mais precisamente na cidade de Barreiras, na região oeste do estado, onde realizou a prova do concurso. Aprovado na prova objetiva e discursiva, e ficando dentro do número de vagas para o quadro de aluno bombeiro, começaram os desafios e maratonas para seguir em frente.

 

“Após o resultado positivo eu comecei a viver um verdadeiro sacrifício, pois só de passagem de ônibus ida e volta para Cuiabá é em torno de mais de mil reais. Então cada vez que eu saia de Mato Grosso para vim a Bahia, era com muita dificuldade. Eu estive na primeira vez no mês de agosto do ano passado, e retornei em dezembro para fazer e entregar os exames médicos. E se não fosse a ajuda dos meus amigos da minha cidade, tiveram professores da faculdade que também me ajudaram nas despesas dos exames que foram caros. Passei seis dias na Bahia, para etapa de entrega de exames e documentos, mas o que dificultou ainda mais minha situação foi não ter podido fazer o TAF (Teste de Aptidão Física) por falta de um exame. Com isso eu tive que vim novamente na Bahia, em janeiro para o exame de psicoteste e retornei para Mato Grosso. Em março tive que retornar para fazer o TAF, cheguei no dia 5 de março, fiz os exames de aptidão física no dia seguinte, e logo depois vim para Feira de Santana”, contou Francisco.

 

Divulgação

 

Com esperança de se apresentar no dia 27 de março e dar assim inicio ao tão sonhado momento de começar o curso de bombeiro, Francisco viu os planos serem adiados e com isso o aumento das barreiras e dificuldade. Isso porque o inicio do curso que seria para o mês de abril foi adiado e com isso a preocupação de Francisco e a falta de recursos financeiros para se manter na cidade aumentaram. “Foi um verdadeiro baque, se não fosse a ajuda de um amigo que me hospedou em sua casa eu não sabia o que seria de mim. Pois cheguei em Feira com apenas cento e oitenta reais”, explicou.

 

Porém, Francisco foi abraçado pelo comando do 1º BEIC e por todos os integrantes, que passou de forma direta ou indireta contribuir para a realização do sonho do mato-grossense. “Foi coisa de Deus mesmo, eu fiquei sabendo que no 1º BEIC, tinha uma piscina e prontamente fui até lá saber se eu podia utilizar a mesma para os treinos, por causa do curso de bombeiro. Foi quando conheci o capitão Wilson Junior e o mesmo passou a minha situação para o tenente coronel Josenilton da Hora, que abriu as portas do batalhão para mim. Desde então passei a receber todo apoio inclusive para fazer uso da piscina como parte do meu treinamento. Esse apoio foi muito importante eu só tenho que agradecer a todos que fazem parte dessa excepcional unidade. Dificilmente eu teria chegado até aqui, se não fosse essa grande ajuda, pois são mais de 48 dias que estou aqui na Bahia e sem esse apoio talvez eu já tivesse desistido”, relatou emocionado.

 

Além da dificuldade financeira e a distância de casa, outro fator que pesou e muito na situação de Francisco, foi ter que ficar longe da família, justamente no momento mais complicado e que exigia a presença ao lado da sua esposa Bruna Letícia e do seu filhinho de apenas oito meses Malcom Eduardo. “Ficar longe da família não é fácil, ainda mais com um filho recém-nascido. A saudade bate mesmo, e o que dar força para continuar é a família, quando eu penso que tenho filho pra criar e que minha esposa e meus familiares acreditam que eu vou conseguir isso nos renova nossas forças e claro Deus acima de tudo. Quando eu deito a cabeça no travesseiro e penso que meu filho e minha família dependem de mim, então minhas forças se renovam a cada manhã”, disse.

 

Oficiais e praças do 1º BEIC se reuniram e deram de presente á Francisco todo enxoval, que o mesmo irá usar durante o curso de bombeiro militar, que será realizado na cidade de Santo Antônio de Jesus. “Não tem como ficar de fora de uma história tão linda de garra, determinação e acima de tudo superação desse jovem Francisco, que acabou de certa forma sendo um grande exemplo para todos nós. E o comando, assim como todo efetivo desta unidade comunga do mesmo objetivo que é nosso slogan 'Policia Militar na Corrente do Bem'. Se nós não nos colocamos no lugar do outro, se não nos preocupamos em ajudar o próximo então nossa missão não terá êxito. Portanto, o BEIC abraçou a causa desse jovem e torcemos pelo seu sucesso”, ressaltou o ten cel PM Josenilton da Hora, comandante do 1º BEIC.

 

Francisco deu inicio ao curso de formação de Bombeiro Militar no último dia 7 de maio.

Comentários

Tacitus Tecnologia