PMFS Vozes

Comerciantes conhecem novo modelo de CEASA

Colbert frisou que o primeiro passo para uma mudança, com esta amplitude, é a participação de todos os permissionários
2018-08-09 18:13:39
Secom/PMFS
Crédito: Reprodução

A transformação pela qual passou o Centro de Abastecimento da cidade de Teresina, capital do Piauí, foi conhecida recentemente pelo prefeito Colbert Martins Filho. Atualmente o equipamento é considerado uma referência pela Organização das Nações Unidas (ONU). Tendo como base a experiência vista na Ceasa Nova, o gestor municipal se reuniu com permissionários do Centro de Abastecimento de Feira de Santana para apresentar uma proposta de transformação do entreposto local.


O encontro aconteceu no Gabinete do Prefeito, na última quarta-feira (8) com participação do secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Junior, e do administrador do entreposto, Delorme Martins.


O prefeito explicou que a Ceasa Nova, de Teresina, tem estrutura semelhante ao equipamento feirense. "Hoje são 1.800 permissionários. Houve uma profunda mudança de perfil, o que resultou numa maior quantidade de negócios, melhores condições de trabalho para os comerciantes, e movimentam, diariamente, algo em torno de R$ 60 milhões”.

 

Colbert frisou que o primeiro passo para uma mudança, com esta amplitude, é a participação de todos os permissionários. “Temos que ter o pensamento de organização e profissionalização”.


Problemas semelhantes


O prefeito observou que o entreposto piauiense sofria com problemas semelhantes aos que são encontrados no Centro de Abastecimento de Feira de Santana. “Prostituição, bebida, som alto, lixo. Tudo isso foi fazia parte da realidade deles, mas foi disseminado com a Ceasa Nova. Ou seja, se eles conseguiram resolver esses problemas, nós também podemos”.


Banco de alimentos


Uma das iniciativas que tem dado resultados importantes na Ceasa Nova de Teresina é o Banco de Alimentos. Trata-se de um setor que recicla sobras de mercadorias, que normalmente seriam descartadas no lixo, e encaminha tudo que pode ser aproveitado para entidades carentes. “O que não serve como alimento, é transformado em adubo. Esse trabalho resulta na reciclagem de 1 tonelada por dia”, ressaltou Colbert.


10% dos garis do município atuam no Centro de Abastecimento


O secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Junior, reiterou que o entreposto feirense tem todas as condições de alcançar o mesmo patamar da Ceasa Nova de Teresina. “Com a participação de todos, é possível alcançarmos isso. Hoje, 10% dos garis de Feira de Santana atuam no Centro de Abastecimento. Todos os dias deixam tudo limpo, e no dia seguinte a sujeira está toda lá novamente. Ou seja, para haver mudança tem que ter a cooperação de todos”.


Comerciantes aprovam mudanças


Os permissionários demonstraram entusiasmo com a proposta de revitalização do Centro de Abastecimento de Feira de Santana. “Hoje não temos nem 2% da clientela feirense no entreposto. Isso é muito negativo para a imagem do nosso Centro. Tenho 62 anos de idade, e 43 destes dentro do Centro de Abastecimento. E estou muito confiante em ver o nome do nosso entreposto resgatado”, declarou o comerciante Ademar Silva.


Para Edmária Medeiros, presidente da Associação de Comerciantes do Centro de Abastecimento, a participação dos permissionários na discussão das melhorias é fundamental. “É muito bom vermos que a Prefeitura está buscando um projeto de revitalização, a partir de um modelo que já deu certo em outra cidade”.

Comentários

Tacitus Tecnologia
PMFS Natal Encantado