UNINASSAU | VESTIBULAR 2019.2
Pode ter greve

Proposta não agrada rodoviários de Feira de Santana

As empresas ofereceram um reajuste de 3,5% linear, além de definir a data-base para 1º de maio
2019-05-14 07:38:05
Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução
Feira Beer run

A reunião da última segunda-feira (13) entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Passageiros Urbanos, Intermunicipal Interestadual de Feira de Santana (Sintrafs) e represntantes das empresas permissionárias do transporte urbano em Feira de Santana, São João e Rosa, pouco avançou nas pretenções dos trabalhadores do segimento.


Segundo José de Souza, vice-diretor do Sintrafs, as empresas ofereceram um reajuste de 3,5% linear, além de definir a data-base para 1º de maio. O dirigente ainda adimitiu que temas ainda ficaram em aberto, como por exemplo plano odontológico para familiares. A inflação oficial em 2018 fechou o ano em 3,75%. Para 2019, a previsão de inflação é de 3,85%, com meta oficial estipulada pelo governo de 4,25%. "Abriu um canal de negociação que estava travado, mas nunca fechamos um acordo abaixo da inflação", comenta o sindicalista. Não haverá paralisação até uma decisão final.

 

“Nós iremos atender ao pedido de uma nova reunião no final da semana e, até lá, não haverá paralisação no sistema de transporte coletivo urbano”, explica o presidente do sindicato, o vereador Alberto Nery. 


Souza comentou que a pauta foi protocolada há cerca de 30 dias, a categoria já se encontra em estado de greve e as resoluções da reunião de segunda-feira (13) serão levadas para um encontro nesta tereça-feira (14) em Salvador - os rodoviários da capital baiana já anunciaram greve para quinta-feira (16) - já que demandas atendidas pelo Sintrafs também atendem a rodoviarios intermunicipais. Em caso de greve, cerca de 1.200 rodoviários feirenses cruzarão os braços, afetando mais de 200 linhas de ôninus. 

Comentários

Tacitus Tecnologia
PMFS JULHO AMARELO