PMFS novo
Feira de Santana

Especialista destaca importância de manter uso da máscara

Apesar da redução de casos, população não deve relaxar
2021-05-03 11:57:38
Secom/PMFS
Crédito: Jorge Magalhães/Secom/PMFS
Crédito: Jorge Magalhães/Secom/PMFS
Bahia Estado Solidario

Há pouco mais de um ano, Feira de Santana vivencia redução e aumento dos casos da Covid-19. Isso faz com que a população se acostume e relaxe com os cuidados preventivos, como uso da máscara e higienização das mãos. A observação é da infectologista Melissa Falcão.


“O uso da máscara é indispensável, principalmente onde não é possível manter uma distância mínima de outras pessoas. Além disso, a higiene das mãos deve ser feita com água e sabão, quando puder. Já o álcool deve ser usado sempre que não puder lavar”, orienta a infectologista, que também é coordenadora do Comitê Gestor Municipal de Controle ao Coronavírus.


Ainda de acordo com a médica, outras medidas de proteção continuam sendo essenciais para diminuir a transmissão do vírus, como o distanciamento social de, no mínimo, dois metros.


Para diagnosticar a doença, a Prefeitura de Feira descentralizou a realização do exame RT-PCR – que analisa amostra de secreção nasal ou oral, 99,8% seguro – em 14 locais. São sete policlínicas, duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), quatro unidades de saúde e um drive-thru na sede da Secretaria Municipal de Saúde.


As unidades de saúde localizadas no Centro de Saúde Social Urbano (CSU) e Rua Nova/Barroquinha atendem por ordem de chegada, das 8h às 12h. Já no turno da tarde, é possível realizar o exame na Unidade de Saúde da Família Corredor dos Araçás e Liberdade I, II e III, das 14h30 às 17h.


A ampliação do acesso proporciona mais agilidade no diagnóstico das pessoas com sintomas suspeitos. A transmissão ocorre de uma pessoa contaminada a outra, por meio de gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, por contato próximo ou aperto das mãos, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


Caso esteja com sintomas compatíveis com a Covid-19, como febre, tosse, dor de garganta e/ou coriza, com ou sem falta de ar, a pessoa deve procurar imediatamente a unidade de saúde mais próxima para realizar o exame. Principalmente se for idoso ou doente crônico.


Vale salientar que o período de sintomas determina qual exame será realizado. Todas as orientações para isolamento domiciliar, cuidados respiratórios, entre outros, serão prestados na própria unidade.

Comentários

Tacitus Tecnologia
EMBASA 50 ANOS II